• Home
  • Blog
  • Diagnóstico
  • Terceira edição da série #DiálogosDigitais Abramed debateu a relação entre custo e investimento na medicina diagnóstica

Terceira edição da série #DiálogosDigitais Abramed debateu a relação entre custo e investimento na medicina diagnóstica

Malu Sevieri, diretora da MFB, participou do bate-papo

No último dia 24 de agosto, especialistas em medicina diagnóstica estiveram virtualmente reunidos em mais uma edição da série #DiálogosDigitais Abramed. O episódio foi moderado pelo presidente do Conselho de Administração da Associação, Wilson Shcolnik, e o debate mesclou assuntos diversos que permeiam o setor com o objetivo principal de esclarecer: medicina diagnóstica é custo ou investimento?

A diretora da Medical Fair Brasil (MFB), Malu Sevieri, participou do bate-papo, juntamente com Alexander Buarque, diretor de ética da Associação Paulista de Medicina do Trabalho (APMT) e Bernardo Barros, gerente médico da bioMérieux.

Segundo Shcolnik, o setor teve um papel importante nessa pandemia, foi mais valorizado e novos recursos surgiram ao longo do tempo. Hoje estão disponíveis testes diferentes, cada um com sua aplicação correta e isso contribuiu para colocar o segmento em evidência. “Conseguimos perceber como o investimento em medicina diagnóstica é importante dentro desse momento de tantos novos recursos que podem, inclusive, gerar muita economia para o sistema de saúde, indicando a terapia certa para o paciente certo”, comentou.

Medicina ocupacional

Considerando que a medicina ocupacional vem ganhando cada vez mais relevância no ciclo de cuidado – inclusive agora com o retorno dos trabalhadores para seus escritórios e espaços de trabalho –, Buarque comentou como a testagem para COVID-19 foi aplicada à rotina das empresas como uma forma de prover mais segurança e tranquilidade. “Com a testagem, principalmente quanto aplicada diariamente, conseguimos captar algumas pessoas assintomáticas, em estágio inicial da infecção pelo novo coronavírus”, explicou. É a medicina diagnóstica agindo para detectar precocemente os contaminados evitando a disseminação do patógeno.

De acordo com ele, foi adotada a estratégia “Know your numbers”, focada em fazer com que cada trabalhador conheça seus principais dados de saúde: pressão arterial, diâmetro da cintura abdominal, IMC, colesterol e glicemia de jejum. “Os três primeiros tínhamos acesso na consulta, mas os outros dois dependiam de exames laboratoriais. Então colocamos esses testes na estratégia para que as pessoas já saíssem da consulta conhecendo esse diagnóstico”, explicou. Além de realmente utilizar a medicina diagnóstica para traçar um perfil de risco, essa estratégia agrega um valor que antes não era visualizado nos exames ocupacionais.

Ambiente hospitalar

Atuando em ambientes críticos, o gerente médico da bioMérieux falou um pouco sobre a rotina de solicitação de exames nas Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) e quais as mudanças mais recentes. Entre os apontamentos do especialista, estavam os exames focados no diagnóstico sindrômico. “Temos tentado alternativas com mais valor como, por exemplo, exames que auxiliam no diagnóstico de diarreias e pneumonias trazendo uma identificação do agente etiológico em menor tempo para início do tratamento antibiótico adequado mais rápido. Temos vários fabricantes, alguns já trabalhando com resultados prontos em até 60 minutos. Excelente para uma terapia empírica até mesmo dentro do pronto-socorro”, detalhou.

Lembrando que para cada tecnologia agregada a um sistema de saúde é preciso investir na educação e treinamento dos profissionais que ficarão responsáveis pela operação, Barros disse que a adesão tecnológica tende sempre a trazer benefícios, tanto para os pacientes quanto para o sistema.

Relacionamento, tecnologia e novos produtos

Considerando que a tecnologia segue em constante evolução trabalhando, inclusive, para agregar valor à medicina diagnóstica na construção de exames cada vez mais acessíveis e assertivos, trabalhando pela redução de custos e aumento do alcance, o relacionamento entre vendedores e compradores dentro do setor é indispensável para a construção de uma medicina diagnóstica sustentável. Nesse sentido, Malu trouxe algumas de suas principais perspectivas globais já que atua diretamente com a organização da Medical Fair Brasil, versão brasileira da Feira MEDICA da Alemanha.

Segundo a executiva, o Brasil é extremamente atrativo do ponto de vista de negócios por conta do tamanho do seu mercado, porém há ainda algumas barreiras de confiança a serem vencidas. Quanto a diferenças na apresentação dos produtos, Malu acredita que o mercado global está equilibrado. “Não vejo muita diferença na parte de avanços tecnológicos. A diferença maior está na oferta. Fora do Brasil temos muitas empresas vendendo as mesmas tecnologias que, quando chegam no mercado brasileiro, chegam com custo alto. Na Ásia, por exemplo, temos muito mais variedade para um mesmo tipo de produto”, pontuou.

Para exemplificar como o mercado está aquecido e trabalhando pela inovação, a diretora trouxe alguns exemplos: aplicativos para gerenciamento de cirurgias, tirando a responsabilidade de definição de prioridades do médico e colocando na inteligência artificial, o que é uma boa alternativa para o Sistema Único de Saúde (SUS), que lida com filas para operações; e softwares que trabalham com o cruzamento de dados de exames a fim de predizer o risco de pacientes internados nas UTIs.

O terceiro episódio da série #DiálogosDigitais Abramed está disponível na íntegra no canal do YouTube da entidade. Clique AQUI para assistir.

Artigos relacionados

  •  +55 11 2365-4336

  • Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

  • Estamos em  São Paulo

  • Alameda dos Maracatins, 1217 - Conj. 701
  • Indianópolis - São Paulo - SP

Cadastre-se em nossa newsletter

Nos conte o seu nome :)
Acho que existe algo errado em seu e-mail.

Olá, esse é o canal via Whatsapp da Medical Fair Brasil. Aqui você tira dúvidas sobre assuntos como: inscrição, quero expor, palestras e assuntos relacionados a feira.

WhatsApp
Close and go back to page